Em 1936 uma atleta judia bateu o recorde alemão de salto em altura, porem foi impedida de participar das Olimpíadas pelos nazistas. Pouco mais de sete décadas depois, finalmente a Federação Alemã de Atletismo – DLV – reconheceu o feito.

Exatamente no dia 30 de junho de 1936, Gretel Bergman, então com seus 22 anos, superou a marca anterior que era de 1.60 metros, e estabeleceu um novo recorde na Alemanha. No entanto a governo da época decretou que seu desempenho era insuficiente e não reconheceu o recorde.

gretel_bergmann

Gretel em 1931

Em seu lugar, Gretel, viu ir aos Jogos Olímpicos de Berlim a rival Dora Ratjen – que curiosamente, mais tarde descobriu-se que era um homem. Desde 1937, Gretel vive nos Estados unidos com o marido, sob o nome de Margaret Lambert. Atualmente com 95 anos.

Gretel Bergmann encerrou sua carreira no atletismo em 1939.

A federação alemã enviará uma carta comunicando o reconhecimento à Gretel.

O presidente da entidade declarou: “A campeã chegou a ser selecionada para os Jogos Olímpicos de Berlim, porém como era judia, o governo nazista não só boicotou a ida da atleta como negou reconhecer o recorde”.

Ironicamente quem venceu a final olímpica foi uma húngara judia com a marca de 1.60cm.

gretel

E o reconhecimento formal somente ocorreu devido ao filme “Berlim 36” que estreou na Alemanha, uma adaptação cinematográfica da vida de Gretel Bergmann. Fato que se tornou inevitável à discussão dentro da federação alemã sobre o paradeiro da ex-atleta, assim como o reconhecimento do recorde.

Fonte: IG

Veja também:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *