O museu que gerencia o ex-campo de concentração de Auschwitz agora tem um perfil no Facebook , que segundo os criadores, é para combater a “indiferença” moral que possibilitou o  assassinato de cerca de 1,3 milhão enquanto o campo era ativo.

“A indiferença foi um mau presente em quase todas as pessoas durante a Segunda Guerra em relação o Holocausto. A população se portou de forma passiva, preferiu não reagir diante de tudo que ocorria”, afirmou o porta-voz do museu, Pawel Sawick, à Reuters Television.
“A desculpa era sempre a mesma: “não vimos nada”, mas na realidade, elas não queriam ver nada. Espero que essa página no Facebook, que é somente uma partícula de nossa atividade, faça com que as pessoas mudem sua postura para ativa quando algo não estiver certo. Se apenas uma pessoa mudar sua postura, já será um enorme sucesso”.

facebook-auschwitz

Fazer parte da famosa rede social foi a última iniciativa do museu Auschwitz-Birkenau, situado próximo de Oswiecim, no sul da Polônia, para chamar a atenção da sociedade mundial ao trabalho de conservação da memória de judeus e outros povos assassinados no maior campo de morte dos nazistas.

No começo do ano, com forte apoio do governo polonês, o museu fez um apelo internacional para angariar fundos a fim de ajudar a preservação de suas instalações e exibições.

Seu patrimônio inclui 155 prédios no campo, 300 instalações em ruínas e milhares de pertences pessoais e documentos dispersos em mais de 200 hectares.

A página de Auschwitz no Facebook, que já conta com 6,6 mil fãs, inclui informações sobre o museu e fotografias.

Povos diversos, incluindo judeus, ciganos, deficientes físicos e presos políticos padeceram nas câmaras de gás de Auschwitz. Outros morreram de fome, excesso  de trabalho forçado, doenças e experimentos médicos.

Na entrada do campo, num arco sobre o portão de ferro, ironicamente, ainda é possível ler: “Arbeit macht Frei” ou “O trabalho liberta”.

O endereço do perfil do Museu de Auschwitz no Facebook pode ser visto aqui:
http://www.facebook.com/auschwitzmemorial

auschwitz2

O famoso portão, foto tirada em 1940, quando o campo estava em funcionamento a todo o vapor

Veja também:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *