Herus Araújo Ditzel – 3º Sargento da FEB – Veterano da Segunda Guerra

[tabs type=”horizontal”][tabs_head][tab_title]Dados[/tab_title][/tabs_head][tab]
Nome: Herus Araújo Ditzel
Nascimento: 23/11/1923
Cidade: PRUDENTÓPOLIS
Estado: PR
Regimento: DEPÓSITO DE PESSOAL
Companhia:
Posto: 3º Sargento
Embarque: 23/11/1944
Retorno: 17/09/1945
[/tab][/tabs]

História : Ex-combatente da FEB, veterano da II Guerra Mundial, prestou serviço militar na cidade do Rio de Janeiro, fez parte da guarda presidencial, apresentou-se como voluntário na Força Expedicionária Brasileira, embarcou no navio-transporte norte-americano “General Meigs” e desembarcou em Nápoles. Lembra que o exército americano recebeu muito bem os pracinhas da FEB. “Nossas roupas foram imediatamente substituídas por outras mais apropriadas ao rigor do inverno europeu. Percebíamos que valorizavam os recursos humanos de combate. Os americanos atuavam sob o lema: ‘Se quer paz, prepare-se para a guerra’”.

Na Itália foi incoporado ao 5º Exército norte-americano. Por ter conhecimento da língua inglesa, foi destacado para participar de um grupo que recebeu instrução em uma unidade chamada “Reserva de Caça do Rei”, na região de Sete Colinas – Roma. A tarefa seria a de detectar, armar e desarmar minas deixadas pelas tropas inimigas nos campos de batalha. Terminado o treinamento foi destacado para repassar a instrução aos pracinhas brasileiros que atuariam naquela missão. As ferramentas utilizadas eram o detector de minas, o tato, a voz e o gesto.

De retorno ao Brasil, pós-guerra, estabeleceu-se em Curitiba, onde prestou serviço militar para oficial do Exército Brasileíro, no CPOR. Não seguiu carreira militar. Em 19 de fevereiro de 1949, casou-se com Lila Ribeiro Ditzel, na cidade de Irati, Paraná, com quem teve quatro filhos. Formou-se em Contabilidade, exerceu a profissão no Grupo Empresarial Hermes Macedo S/A onde se aposentou como Diretor de Crédito e Cobranças.

Fonte: Isabel Cristina Ditzel

Veja também:

Comentários

  1. Parabéns aos bravos soldados braseiros que lutaram na segunda guerra mundial. Lamento apenas pelas mortes em vão, ocorridas por erros estratégicos da parte dos comandos.

  2. Li duas vezes o livro do General Clark, comandante do 5º Exercito americano, onde a FEB foi incorporada. Ele não menciona uma única vez, não faz um único comentário a respeito da participação de nossos soldados. Qual a razão? Quem souber comente.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *