Perda de empregos nos Estados Unidos supera os números logo após 2ª Guerra

O número de trabalhadores estadunidenses que ficaram desempregados em 2008 superou os números de 1945, quando findou a Segunda Guerra Mundial, de acordo com os dados divulgados pelo Departamento de Trabalho dos Estados Unidos.

Em todo o ano de 2008, 2,6 milhões de vagas ficaram indisponíveis. Somente em dezembro foram cortados 524 mil vagas.

Assim, a taxa de desemprego dos Estados Unidos chegou a 7,2%, a maior dos últimos 16 anos.

Em novembro, foram perdidas 584 mil vagas. Em outubro, o número de postos de trabalho fechados foi 423 mil.

A maior parte das vagas perdidas em 2008 é relativa aos últimos quatro meses do ano. Em dezembro, a maioria dos postos fechados foi no setor de serviços, responsável por 273 mil vagas fechadas.

Carga horária

Boa parte dos trabalhadores que mantiveram seus empregos teve sua carga horária reduzida.

O número de horas trabalhadas semanalmente nos Estados Unidos no mês de dezembro decaiu 0,2 horas, caindo para 33,3 horas, o nível mais baixo desde 1964, quando os dados começaram a ser medidos.

Muitos economistas já previam que os números de desemprego em dezembro reforçassem os sinais de fraqueza da economia estadunidense.

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou na quinta-feira que a atual recessão poderá se prolongar por diversos anos caso não sejam tomadas medidas “drásticas”.

Obama, que tomará posse no dia 20 de Janeiro de 2009, vem se reunido com líderes do Congresso para conseguir apoio a seu pacote, que custará entre US$ 700 bilhões e US$ 800 bilhões nos próximos 2 anos e criar até 3 milhões de empregos.

Desse montante, cerca de US$ 300 bilhões se destinarão a cortes de impostos. O pacote também prevê aumento de gastos em infra-estrutura e ajuda aos Estados.

Veja também:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *