A pistola Luger originou-se num projeto de Hugo Borchardt de 1893. Tempo depois George Luger concebeu e produziu a arma que foi batizada com seu nome.

As primeiras Luger foram fabricadas com calibre 7,65mm e adotadas pelo Exército Suiço. O seu projeto caiu nas graças de diversas nações e cerca de dois milhões de pistolas foram produzidas por variados fabricantes em no mínimo 35 versões.

A Pistola P08 foi uma dessas variações. Foi adotada pelo Exército Alemão em 1908 e seguiu como a principal pistola até a Walther P38 também ser adotada em 1938. O principal calibre da P08 era 9 mm, porem outras versões de 7,65mm foram feitas. A P08 tornou-se uma das armas clássicas armas da Segunda Guerra Mundial.

De simples manuseio, fácil de mirar e geralmente muito bem fabricada. Seu complexo sistema de ação sensível à poeira e sujeira exigia uma fabricação precisa. Ainda assim a Luger P08 provou ser uma pistola robusta e resistente. Foi substituída nas linhas de produção devida a demanda por pistolas ser alta e sua fabricação lenta. Em 1942 entraram em circulação as últimas fabricadas.

A Luger mais tradicional, a P08, possuía um cano de 103 mm de comprimento e outro modelo mais antigo, a P17 Artillerie era dotada de um cano de 203 mm e possuía um pente para 32 cartuchos, já fora de linha entre 1939 e 1945.

Essas pistolas foram um dos troféus mais desejados da Segunda Guerra Mundial e muitas dessas ainda existem em coleções.

 


Tipo:
Pistola
Pais:
Alemanha
Calibre: 9mm
Comprimento: 222mm
Comprimento do cano: 103mm
Peso: 0,877kg
Velocidade inicial do projétil: 381m/s
Pente: 8 munições

Mais Imagens da Luger P08

Veja também:

Comentários

  1. Eu não sei porque sempre que alguém é fascinado pelas histórias da segunda guerra tem que dar alguma desculpa para isso. Seja para dizer “que isso não se repita mais” ou “como eram inteligentes os comandantes ou como eram combatentes determinadas tropas”. Eu acho que sisplesmente isso é natural do ser humano gostar dessas histórias de combates, ver grandes batalhas de tanques e etc. Eu adoro os acontecimentos, principalmente da segunda guerra, sisplesmente porque os acho fascinantes.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *