A Biblioteca Esquecida de HitlerRecentemente foi lançado um livro que propõe trazer um novo estudo sobre Adolf Hitler, “A Biblioteca Esquecida de Hitler”, onde a fonte de pesquisa usada foi a Biblioteca dispersa do Führer. Literalmente dispersa, uma vez que após a Segunda Guerra Mundial seus 16 mil livros retirados de suas casas em Munique, Berlim e Obersalzberg espalharam-se por bibliotecas e universidades dos EUA e da Europa ou, se perderam.

O historiador Timothy W. Ryback utilizou essa fonte não apenas porque Hitler era um colecionador de livros, mas porque era um leitor voraz. Durante toda a sua vida adulta, o líder nazista leu um livro por noite.

Embora fosse um leitor compulsivo, não é correto apontar Hitler como um intelectual. Nas suas estantes era possível achar, sem critério, obras de filósofos como Nietzsche e Schopenhauer e tratados antissemitas; livros de arte e volumes de literatura barata; histórias de guerra e teorias do ocultismo.

“Ele era um leitor acrítico, capaz de ler um estudo filosófico num dia e, no outro, um panfleto racista, sem fazer nenhuma distinção”, diz Ryback. A própria biografia do führer, “Mein Kampf” (minha luta, lançado em dois volumes, em 1925 e 1926), já dava pista da leitura superficial a que ele se dedicava –mesmo em clássicos como “Dom Quixote”.

Hitler não usava suas leituras para aumentar seu conhecimento, mas sim para embasar suas idéias preconcebidas. Como um advogado que ao montar um processo, busca na constituição o amparo para sua causa.

Títulos como “O judeu Internacional” de Henry Ford – o fundador da empresa de autos -, e “O Declínio das Grandes Raças”, de Madison Grant, ambos os livros que afirmam que os judeus conspiram contra o mundo, foram as bases que Hitler buscava para a sua doutrina nazista.

Obviamente que ele não leu todos os volumes de sua biblioteca, diversos eram presentes de aduladores, assim como a leitura não era uma atividade prazerosa, mas uma compensação ao fato de ter cessado os estudos aos 15 anos. Prova disso foram os seus próprios escritos onde erros grosseiros de ortografia podem ser notados, e são muitos nos originais de “Mein Kampf”.

Boa parte dessa biblioteca, cerca de 1200 livros está na biblioteca do Congresso estadunidense em Washington, nos EUA.

Ficha Técnica

A BIBLIOTECA ESQUECIDA DE HITLER
ISBN-10: 8535914579
ISBN-13: 9788535914573
Acabamento: Brochura
Edição: 1
Número de páginas: 328
Autor: Timothy Ryback
Tradução: Ivo Korytowski
Editora: Companhia das Letras
Quanto: R$ 46,00

Veja também:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *