No dia 10 de Dezembro de 1948, a Declaração Universal dos Direitos Humanos é adotada e proclamada pela Assembleia-geral das Nações Unidas no Palais de Chaillot em Paris. A declaração firmou a visão da organização para os direitos humanos garantidos a todos os povos, proporcionando direitos e liberdades básicas aos quais todas as mulheres e homens são dados: O direito à vida, liberdade e nacionalidade;

  • A liberdade de pensamento, consciência e religião;
  • O direito ao trabalho e a ser educado;
  • O direito à alimentação e habitação;
  • O direito a fazer parte de um governo.

Houve 48 votos para a Declaração, nenhum contra e 8 abstenções (Rússia Branca, atualmente Bielorrússia, Checoslováquia, Polônia, Arábia Saudita, Ucrânia, URSS, África do Sul e Iugoslávia).

O canadense John Peters Humphrey foi o principal projetista do texto da declaração, após ter sido convidado ao cargo de Secretário-geral das NU. Ele foi assessorado por Eleanor Roosevelt dos Estados Unidos, René Cassin da França, Charles Malik do Líbano e P. C. Chang da China, entre outros.

A declaração de 6 páginas foi traduzida para mais de 320 idiomas e dialetos do Abecas ao Zulu, sendo o documento mais traduzido no mundo.

LEIA AQUI a Declaração completa de 1948

Eleanor Roosevelt

Eleanor Roosevelt com cartaz impresso a Declaração Universal dos Direitos Humanos

Veja também:

Comentários

  1. São princípios muito bem elaborados pelos grandes líderes mundias após a devastosa segunda guerra mundial, contudo muitos governos a sul do sara violam constantemente os direitos do homem. Daí peço maior atenção dos países super desenvolvidos à olharem para está parte do mundo, porém sem interesses económicos e políticos! Ajudem a salvar os homens, somos antes de mais e sobretudo seres humano.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *