aprlamento-nazi.jpg

Causas da Segunda Guerra Mundial – Principais Pontos

Os Atos de Hitler, da Alemanha e as consequências…

O fim da Primeira Guerra Mundial impôs os tratados de paz que colocaram a Alemanha numa condição humilhante, além do despojo de suas possessões. Todos os territórios ultramarinos, a Alsácia, Lorena e a Prússia Oriental na Europa. Os exércitos aliados ocuparam a região do Reno, e o tamanho do exército e marinha alemã ficaram extremamente limitados. Obrigado a pagar indenizações, sua moeda entrou em colapso que desencadeou desemprego em massa. Assim, diante desta Alemanha desacreditada e descontente que Adolf Hitler ergueu sua voz pela primeira vez.

Apelando para a convicção do povo alemão de que tinham sido oprimidos pelos vencedores da primeira guerra mundial, não foi difícil chamar a atenção. Sua Pregação sobre a grandeza nacional e a superioridade nórdica, denunciava judeus e comunistas, os colocando como traidores e responsáveis pela derrota.

Hitler criou o Partido Nacional-Socialista e em 1932, este já possuía 13 milhões de adeptos e 230 lugares no parlamento alemão. O poder de Adolf Hitler mostrou-se absoluto em 1934, com a morte do presidente Hindenburg. Ignorando o Tratado de Versalhes, ele iniciou um grande programa de re-armamento militar. No início de 1936, debaixo de grande confiança, moveu tropas para recuperação da região do Reno, e sem o impedimento dos aliados, a operação foi bem sucedida. E No final deste mesmo ano, envia auxílio a Francisco Franco na Guerra Civil Espanhola juntamente com seu novo aliado Benito Mussolini, com quem assinou o pacto de união Roma – Berlim.

Adolf Hitler intencionava fazer do país a primeira potência mundial. Para tanto, primeiramente precisava possuir espaço vital (Lebensraum). Desta forma, comportaria uma população em rápido crescimento e exigindo prosperidade, necessitando de terras para cultivo e matérias-primas para energia e indústria. A Áustria foi por onde ele começou com seu intento, pois o país já possuía um forte movimento nazista (apesar de o chanceler querer preservá-la como nação independente). Em 1938, sem dificuldades, os exércitos alemães invadem a Áustria e entram em Viena. Seu próximo objetivo seria os Sudetos, região fronteiriça pertencente à Tchecoslováquia. Repleta de recursos minerais e por abrigar uma população alemã, Hitler incitou o descontentamento dessa população em relação ao seu país e gerou um conflito armado na fronteira.

Houve, então, o primeiro movimento de defesa dos aliados, com o intuito de intimidar Hitler. Os aliados, compostos por Tchecoslováquia, Inglaterra, França e Rússia cederam à exigência de Hitler de anexar os Sudetos, crendo na sua promessa de que não iria reivindicar mais territórios. Mas o viram quebrar sua promessa e invadiu a Tchecoslováquia. O próximo passo seria a Polônia, e diante disso, tratou de fazer suas exigências. Solicitou a devolução do porto de Dantzig e livre acesso a ele na Prússia Oriental, conhecido como Corredor Polonês.

A Polônia não estava inclinada cooperar com Hitler, pois conseguiu da Grã-Bretanha a garantia absoluta de proteção. Hitler concluiu que tal garantia não tinha valor sem o apoio russo no leste e, adiantando-se aos ingleses, aliou-se à Rússia, assinando o pacto Molotov – Ribbentrop, prometendo-lhe a recuperação do território polonês perdido em 1918. Foi desta forma que o caminho ficou aberto para o início do confronto com a Polônia e consequentemente da Segunda Guerra Mundial.

Sobre Andre Almeida

Ex-militar do exército, psicólogo e desenvolvedor na área de TI.Sou um entusiasta acerca da Segunda Guerra Mundial e criei o site em 2008, sob a expectativa de ilustrar que todo evento humano possui algo a ser refletido e aprendido.

Veja também

Lutas esquecidas #9: Duelo entre USS Buckley e o U-66

A Batalha do Atlântico foi travada com algumas das mais novas tecnologias, no entanto, em …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *